Resenha: O Fio do Bisturi

Apesar de estar trabalhando havia menos de um ano como anestesista no hospital Mid Pac, Kate Chesne era respeitada e querida por todos os profissionais ao lado dos quais trabalhava. Isso mudou quando a enfermeira Ellen O’Brien morreu durante uma operação de vesícula a qual Kate assistiu como anestesista. No prontuário de Ellen, um eletrocardiograma feito no pré-operatório com indícios de ataque cardíaco e as iniciais K. C. indicavam que Kate não se havia dado conta de que a paciente não podia ser operada. Má prática médica. E com a participação do advogado David Ransom na acusação (representando os pais da falecida), a condenação era certeza. Mas Kate tinha convicção da própria inocência e estava disposta a ir até as últimas consequências para isso. Eis como começa “O Fio do Bisturi”, um dos livros mais antigos da ex-médica e brilhante escritora Tess Gerritsen.

wp-1461525422488.jpeg

Editora: Haper Collins Brasil

Páginas: 238

Onde encontrar: Saraiva, Americanas, Livraria Cultura, Amazon

Com o intuito de provar sua inocência, Kate corre ao escritório de Ransom e declara-se inocente, o que, obviamente, não convence ao advogado que detesta médicos. Então morre outra enfermeira do hospital, que é encontrada com o pescoço cortado, tal como um velho obstetra encontrado morto duas semanas antes, e David enfim começa a refletir que Kate pode ter razão e a morte de Ellen tenha sido, na verdade, um homicídio, e não um erro médico. É a partir daí que Kate e David, não sem tensões e desencontros, unem-se para descobrir quem é a vil criatura que anda livremente pelos corredores do hospital Mid Pac.

Como todos os livros de Tess Gerritsen, famosa pelos excelentes livros que inspiraram a série Rizzoli & Isles (O Cirugião, O Dominador, O Pecador, Dublê de Corpos etc), O Fio do Bisturi tem um enredo bem elaborado e que te motiva a virar as páginas compulsivamente. Sendo um dos primeiros livros da autora, ele foge um pouco da essência thriller médico que caracteriza os livros da série Rizzoli & Isles e outros mais recentes da autora, como Corrente Sanguínea e o Jardim de Ossos, nos quais os detalhes de perícia são um elemento fundamental no desenrolar das histórias. Em o Fio do Bisturi, conheci uma Tess bem distinta da que havia lido em outros livros, uma vez que, nesta história, o romance que se interpõe ao mistério é tão importante como este ou até mais importante, o que de nenhuma maneira é negativo. E eu lhes asseguro: as cenas românticas de Tess Gerritsen são tão intensas e minunciosas como as extensas descrições de exames laboratoriais e necropsias que tão habilmente escreve.

Tal como em outras obras da autora, a tensão cresce conforme se sucedem as páginas, alcançando um clímax algo inesperado, porém, de maneira nenhuma, incoerente (sim, eu errei a identidade da vil criatura rs) e a progressão da narrativa não só nos leva a temer pela vida da protagonista como também a torcer por ela e seu romance a princípio impensável (e conturbado!). O tom anti-lucro empostado por algumas personagens (que já notei em outros livros dela) me irrita bastante, porém a autora é tão brilhante na construção das tramas e resoluções de mistérios que eu relevo com facilidade e naturalidade que eu não relevaria em histórias não tão bem construídas. O desfecho, por sua vez, bem, superou minhas expectativas: é um desfecho belo, quase sublime e extremamente apropriado considerando o todo da história.

Por outro lado, este é um livro mais previsível que a média a qual me acostumei da autora e, não só isso, apresenta-nos uma narrativa bem menos intrincada, o que frustra um pouquinho. Ainda assim, O Fio do Bisturi é um livro que recomendo fortemente a todos que apreciam um suspense bem elaborado e personagens pelas quais conseguimos torcer do início ao fim, de modo que na minha escala leva um 8/10.

Thaís Gualberto

Anúncios

2 comentários sobre “Resenha: O Fio do Bisturi

  1. Bianca Carvalho disse:

    Gente, eu não sabia nem que existia esse livro! Hahahaha
    Preciso colocar mais livros dela na minha lista, eu devorei 3 de uma vez depois não li mais nada. Mas adoro a trama toda complexa que ela faz, então não sei bem se vou gostar desse né. Mas vou folhear quando for na livraria! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    • Thaís Gualberto disse:

      Esse livro é muito novo aqui no Brasil. Comprei na pré venda! Hehe apesar de menos vibrante que os que já lemos, acredito que você iria gostar desse livro, por isso, não deixe de dar uma folheada atenta quando estiver na livraria 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s